Bio? Diesel – o prefixo não pode estar associado.

Trechos retirados do livro “Navios que se cruzam na calada da noite”  – Luc Vankrunkelsven

“Num mundo com 855 milhões de famintos (a cada ano este número aumenta 5 milhoes, apesar dos ‘benefícios’ da agricultura industrial com suas sementes híbridas ou transgêncicas), é extraordinário observar que a AF (agricultura familiar), (…) agora iria alimentar os motores a diesel dos caminhões Mercedes. Neste mundo capitalista há uma guerra entre o estômago e o automóvel. Está claro quem irá vencer!

Neste mundo tão faminto (só no Brasil, são 44 milhões dos 180 milhões de brasileiros), é uma vergonha que 65% da produção mundial de soja e 90% do farelo de soja sejam destinados à ração para animais. E agora a safra agrícola seria destinada, também, aos caminhões. O carro particular e o consumo (excessivo) de carne são os símbolos máximos do capitalismo e da riqueza para uma parte da sociedade. (…) É bastante assustadora a perspectiva de que o agricultor familiar – que usa tração animal do boi ou do cavalo – produzirá soja para os consumidores de carne na Europa, Japão e China… e agora também para os caminhões que transportam o grosso da produção da ‘agricultura de exportação’ dos latifundiários para o porto de Paranaguá. Para um jogo cínico como esse, precisaríamos de um planeta com o triplo de tamanho da Terra. Nós nos aborrecemos com o fato de que a maior parte das proteínas é destinada à ração animal e que dificilmente poderemos utilizar todo óleo extraído em nossa margarina ou nos óleos comestíveis. Biodiesel é a ‘saída ecológica’ para utilizar este óleo. Para aplacar nossa consciencia e ganhar duas vezes mais dinheiro.

Biodiesel é um componente lógico de um sistema que foi imposto ao Brasil desde as décadas de 50 e 60: o desmonte da rede ferroviária e a construção de estradas para os caminhões e ônibus da Mercedes e Volkswagen (= fonte de riquezas para a Alemanha após a II Guerra Mundial) e, atualmente, também para outras, como Volvo, Scania, etc. (…) Plantar soja para biodiesel – sem uma análise criteriosa – é aceitar e promover a continuidade do avanço da fronteira agrícola. Em 2002, constatou-se que o desmatamento da floresta amazônica aumentou 25 mil km². ‘Normalmente’ este aumento é de ‘somente’ 18 mil km² por ano. O cerrado (25% da área do Brasil) e, nos ultimos anos, também os campos, no Paraná e Santa Catarina, foram ocupados pela soja. Nestes locais, a biodiversidade está desaparecendo muito rapidamente.

A ‘burguesia industrial’ afirma agora que o biodiesel é o combustível do futuro! “Nós temos, nas grandes cidades, problemas com poluição do ar e agora vocês, queridos agricultores, finalmente terão uma importante missão social. Vocês colaborarão na melhoria das cidades”. (…) Ouço a mesma conversa na Europa. Agora vamos cultivar espécies para fins não-alimentícios: biodiesel, plástico, materiais de construção, etc. Mas os problemas ecológicos somente são transferidos da cidade para o campo. Na Europa, os agricultores estão usando mais agrotóxicos para suas beterrabas, colza, … para produção de biodiesel ou plástico, pois não se destinam mesmo à alimentação. É para fins não-alimentícios! O carrosel industrial de Monsanto e seus colegas pode continuar a girar. Até deixar todos tontos.

(…) Para produzir uma tonelada de adubo químico é necessário utilizar mais de uma tonelada de petróleo (ou seu equivalente em energia nuclear ou outra fonte). No Brasil, desde a década de 50: centrais hidrelétricas. É um sistema global de modo de vida desperdiçador e de modelo de produção industrial. Há conflitos agrários com povos indígenas e agricultores (Itaipu e muitas outras hidrelétricas). Sim, é uma ‘pegada’ ecológica e social! Shell e outras multinacionais do petróleo vendem diesel e todo tipo de derivados, adubos químicos e agrotóxicos de todos os tipos e agora; agora vão produzir biodiesel. Eles jogam, com entusiasmo, o jogo ecológico. Falam de ‘energia verde’. Muitas vezes o balanço energético, o resultado do output-input (saída – entrada), é negativo… Olha só que loucura: produzir ‘petróleo’ nas lavouras (‘bio’diesel) com petróleo extraído da terra?! Somente o deus Lucro poderia inventar uma coisa dessas.”

Links Luc: 01, 02, 03. O livro pode ser encotrado em qualquer biblioteca dos colégios públicos do Estado do Paraná.

Que isso não seja confundido com um post apenas de “briga de informações tecnológicas”, haja visto várias páginas de discussão pela internet. Isso aqui é para demonstrar o absurdo de se pensar na continuidade de um mundo com tamanha disparidade e desperdícios em nome do capital. Dinheiro esse que dá forças aos indivíduos decidirem ficar cegos para tudo que está próximo, tirando seu próprio umbigo.  A verdade é que isso tudo é uma guerra e a unica maneira de vencer é  destruindo todo o sistema que dá base à ganância em detrimento de quaisquer outras coisas positivas. Nós somos os infectados querendo achar uma cura e passá-la aos cegos, para que um dia, juntos, consigamos tirar o lucro da pole position ante as pessoas e a terra como um todo.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: